Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘ONU’

image

Homenagem à criação do Estado de Israel

Eu recebi este texto, intitulado Jair Bolsonaro e os donos do poder – a questão real, e transcrevo a íntegra aos cristãos brasileiros, pois é muito bom e traz algumas interrogações que nós, pessoas que pensam espiritualmente os fatos, temos as respostas. Após o texto, deixo minha consideração.

O texto

“É evidente que a decisão da 1ª Turma do STF de aceitar denúncia contra o Deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e transformá-lo em réu por suposto crime de “incitação ao estupro” foi uma decisão casuística, dissonante de toda a jurisprudência da Corte e voltada pessoalmente contra o Deputado. Houve um ânimo claro de feri-lo especificamente, de desferir um golpe contra Bolsonaro.

Não é preciso muito esforço para concluir a respeito, mesmo sob ótica estritamente jurídica.

A notícia veiculada no site do STF afirma o seguinte:

O relator, ministro Luiz Fux, entendeu que as declarações do deputado Bolsonaro não têm relação com o exercício do mandato. “O conteúdo não guarda qualquer relação com a função de deputado, portanto não incide a imunidade prevista na Constituição Federal”, disse. Ele acrescentou que, apesar de o Supremo ter entendimento sobre a impossibilidade de responsabilização do parlamentar quanto às palavras proferidas na Câmara dos Deputados, as declarações foram veiculadas também em veículo de imprensa, não incidindo, assim, a imunidade. Observou, ainda, que não importa o fato de o parlamentar estar no gabinete durante a entrevista, uma vez que as declarações se tornaram públicas.

Por que afirmo que não é necessário qualquer esforço para perceber nisto uma decisão casuística e direcionada?

Pelo fato de que, no dia imediatamente anterior (20/06), o STF decidiu um outro processo, uma queixa do Senador Aécio Neves (PSDB-MG) contra a Deputada Jandira Feghali (PcdoB-RJ) e o resultado foi exatamente o oposto. Jandira insinuou em seu Twitter que Aécio era responsável por um helicóptero repleto de drogas que fora apreendido em Afonso Cláudio (ES), em 2013. Em 19 de maio de 2015, ela escreveu: “Aécio, o Brasil precisa saber de um helicóptero repleto de drogas”.

Vejam como o STF decidiu sobre Jandira Feghali, um dia antes de decidir sobre Bolsonaro:

O relator lembrou que a atividade parlamentar não se restringe ao âmbito físico do Congresso Nacional, e que a prática de atos em função do mandato, ainda que fora das Casas Legislativas, está igualmente protegida pela garantia prevista no artigo 53, caput, da Constituição Federal. Ele destacou que o instituto da imunidade parlamentar deve ser interpretado em consonância com a exigência de preservação da independência do congressista. No caso, observou que o comportamento da deputada Jandira mostrou estreita conexão com o desempenho do mandato legislativo.

Em sua decisão, o ministro registrou que o exercício do mandato legitima a invocação dessa prerrogativa jurídica, “destinada a proteger opiniões, palavras e votos do membro do Poder Legislativo, independentemente do lugar em que proferidas as expressões eventualmente ofensivas”. […]

O ministro Celso de Mello destacou, também, que a garantia constitucional protege as entrevistas jornalísticas; a transmissão, para a imprensa, do conteúdo de pronunciamentos ou de relatórios produzidos nas Casas Legislativas; bem assim as declarações veiculadas por intermédio de mass media (meios de comunicação de massa) ou social media (mídias sociais). Isso porque o Supremo tem reafirmado a importância do debate, pela mídia, das questões políticas protagonizadas pelos detentores de mandato, “além de haver corretamente enfatizado a ideia de que as declarações à imprensa constituem o prolongamento natural do exercício das funções parlamentares, desde que se relacionem com estas”.

No caso de Jandira, o parecer da Procuradoria-Geral da República foi pelo arquivamento do caso, com base na imunidade parlamentar. Para Bolsonaro, entretanto, foi a própria PGR que ingressou com a denúncia.

O mesmo STF que absolve Jandira Feghali, que é do PC do B, por insinuar que Aécio Neves teria relação com tráfico de drogas, é o STF que recebe denúncia contra Jair Bolsonaro afirmando que suas palavras não estão protegidas pela imunidade parlamentar.

O mesmo STF que afirma que Jandira Feghali deve ser protegida por suas declarações até quando fala à imprensa é o STF que diz que Jair Bolsonaro não tem direito a esta proteção justamente porque falou à imprensa. Quando um parlamentar fala aos órgãos de mídia, diz a Corte, o faz em “prolongamento natural do exercício do mandato” – só não se o parlamentar foi Jair Bolsonaro, é claro.

Ressalto novamente: existem menos de 24 horas entre as duas decisões. A decisão que absolveu Jandira foi tomada no dia anterior àquela que recebeu denúncia contra Jair Bolsonaro – e os motivos são exatamente os mesmos, só que com sinais invertidos.

Por que os dois pesos e duas medidas do STF?

Porque a decisão é casuística, como disse, e voltada pessoalmente contra Bolsonaro.

CONTRA BOLSONARO, CONTRA A VERDADE DOS FATOS

Há outra razão jurídica para concluirmos facilmente sobre isto.

É que o princípio mais fundamental do Processo Penal é o “princípio da verdade real”, que diz o seguinte: deve ser buscada a verdade dos fatos, aquilo que realmente ocorreu, e não apenas o que parece ter ocorrido; a função punitiva do Estado só deve se voltar contra aquele que realmente cometeu um crime, não contra aquele que parece ter cometido.

Agora, perceba-se o contrassenso: é minimamente razoável que um Deputado conhecido por ser autor de projetos de lei que agravam as penas para estupradores, que propõe até mesmo a castração química do condenado por estupro como condição para progressão do regime, um parlamentar famoso por discursos acalorados contra violadores, contra a impunidade, contra o tratamento manso que se dá aos criminosos – é minimamente razoável que este parlamentar, justo este, tenha resolvido, de repente, incitar o estupro contra alguém?

É minimamente razoável admitir que um Deputado que discutiu com a Sra. Maria do Rosário exatamente porque ela – ela, sim! – estava defendendo um estuprador, o Champinha, enquanto ele condenava veementemente o crime cometido (um fato público, notório, gravado em vídeo e amplamente difundido), tenha, agora, cometido apologia de estupro contra a parlamentar que queria justamente tratamento manso para o estuprador?

A coisa inteira é de um descalabro colossal. Não está de acordo com o princípio da verdade real admitir que Bolsonaro – justo ele! – tenha pretendido incitar o crime de estupro, quando é o principal defensor do endurecimento contra esse crime hoje, em todo o Parlamento – inclusive infinitas vezes mais incisivo contra isso do que a Sra. Maria do Rosário, conhecida por defender os “direitos humanos” dos criminosos, entre os quais o estuprador Champinha, que torturou e estuprou a jovem Liana Bei Friedenbach, reiteradas vezes e por vários dias seguidos, ele e seus comparsas, até assassiná-la com um facão cego, por degola e esfaqueamentos sucessivos.

E justamente a querela originada, deste caso, entre os Deputados Jair Bolsonaro e Maria do Rosário, o primeiro condenando Champinha e a segunda, defendendo-lhe, leva a que o STF receba denúncia contra o primeiro por – pasmem! – apologia do estupro!

É o fim do processo penal e a instauração acachapante do casuísmo como técnica de decisão.

SUPREMO PODER, PODER SUPREMO

Há tempos o STF vem agindo assim. Em sua época recente, o Supremo vem se considerando realmente supremo. Quem poderá questioná-lo? Onde? A quem recorrer?

Na falta de um nome melhor, chamo de “síndrome do ídolo constitucional”: já não vige na Suprema Corte a noção de que ela guarda a Constituição. Ao contrário, o Supremo Tribunal acredita que ele próprio é a Constituição, a Gründnorm de Kelsen realizada, isto é, o fundamento último de todo o ordenamento jurídico, pelo qual todas as outras leis e a própria Constituição devem ser obedecidas. A nação, aparenta, não existirá sem o seu poder supremo de tutela a definir, inclusive contra a mesma Constituição, como a realidade jurídica deve ser – numa negação absoluta da realidade fática. O Supremo se fez um ídolo no altar de seu próprio culto e, dos altos píncaros de seu templo, regerá a vida dos homens todos, dos Poderes outros, com mão de ferro, segundo seus desejos, seu arbítrio, seus fetiches.

O grande problema da forma como o Poder Judiciário está instalado no Brasil é que o Supremo, de fato, concentra uma carga altíssima de poder: ele é o Tribunal Constitucional, mas também é a última instância dos demais processos ordinários e, ainda, a primeira instância dos detentores de foro privilegiado. Há uma mistura de competências que não é benéfica e que, como estamos percebendo, invade ferrenha as cabeças dos magistrados. Do Supremo não há a quem recorrer – e eles sabem disso.

Os espanhóis encontraram uma maneira de minimizar isso: o Judiciário na Espanha, de certo modo, se divide em dois. Há um Tribunal Supremo, que decide questões cíveis, penais e administrativas (as questões ordinárias), e um Tribunal Constitucional, fora da estrutura judiciária comum, que decide apenas as questões constitucionais. Um e outro não se misturam. Quando uma questão constitucional é suscitada na justiça ordinária, o processo é levado ao Tribunal Constitucional, por meio de um instrumento chamado “recurso de amparo”, e a Corte Constitucional decide apenas aquela questão específica e nada mais.

Na Espanha existe um sistema de “freios e contrapesos” dentro do próprio Judiciário. Em suma: há como recorrer do Tribunal Supremo e, de outro lado, o Tribunal Constitucional não é a última palavra em todas as questões.

Indo mais além, os espanhóis implementaram outra medida: para evitar concentração de poder no Tribunal Constitucional, seus juízes têm mandato de 9 anos e as designações são distribuídas por vários órgãos – as duas Casas do Congresso, o Governo executivo e o Consejo General del Poder Judicial, do próprio Judiciário. Não há designação exclusiva, como ocorre no Brasil, com nomeação de Ministros apenas pelo Presidente da República.

Já está mais do que na hora de algo assim ser pensado para o nosso país, sob pena de convivermos com um Tribunal Supremo que exercerá, em direito – porque ele diz o que é o direito, afinal – e em verdade, um poder supremo. Os sinais de arbitrariedade do STF já têm sido muitos para serem simplesmente ignorados. Infelizmente, com um Congresso quase que inteiramente sujeito a se tornar réu no mesmo STF (e, agora, até por crime impossível), é difícil que alguma proposta razoável neste sentido caminhe, por ora.

O PODER QUE MANDA PENSAR

Mas voltemos a Bolsonaro.

Dois últimos pontos precisam ser ditos.

Em primeiro lugar, à luz da própria jurisprudência do Supremo Tribunal Federal e da diferença de tratamento que foi dada a Bolsonaro e a Jandira Feghali, fica evidente que o casuísmo adotado contra o parlamentar do PSC é uma tentativa de igualá-lo aos demais réus do Congresso. Bolsonaro é o único Deputado que, segundo Joaquim Barbosa, não recebeu propina do Mensalão e, nas delações da Lava Jato, é o único parlamentar de seu antigo Partido citado como avesso ao que se praticava no Petrolão.

Da impossibilidade de fazer Bolsonaro réu de crimes que a quase generalidade do Parlamento cometeu, o Supremo foi mais adiante: transformou Bolsonaro em réu de um crime que ele próprio repugna e combate na vida pessoal e no exercício do mandato parlamentar. O que fica claro, portanto, é uma ânsia por, simplesmente, colar na testa do parlamentar a palavra “réu”, ainda que o motivo seja o mais esdrúxulo e desamparado de realismo possível.

Mas há uma segunda observação necessária. É que Bolsonaro é um ponto fora da curva no espectro político brasileiro e, como tal, precisa ser liquidado para que o establishment se mantenha. É o primeiro político que, sem grandes fortunas, sem grandes apoios e sem grandes partidos, mas apenas consigo mesmo, com a própria palavra e a própria postura, tem arregimentado uma legião de apoiadores que se sentem por ele representados.

O fenômeno Jair Bolsonaro é algo que a mídia brasileira e o establishment ainda não compreenderam: pela primeira vez o povo sente um político falar por eles. O STF, que também não está compreendendo isso direito, resolveu mexer nesse vespeiro.

Numa situação dessas, a ação do estamento burocrático sempre será a de absorver o elemento dissonante e fazê-lo parte de si, engrenagem do esquema. Como, ao que parece, isto não foi possível com Bolsonaro, o passo seguinte será o de aniquilar o elemento dissonante e, então, suprimir a voz popular que ecoa pela fresta que ele abriu nos muros do estamento burocrático.

Raymundo Faoro afirma:

Realidade diferente, que com o escol dirigente não se confunde, é o estamento burocrático. Não é este uma camada móvel, que se renova e morre, com as variações sociais. Possui estrutura própria que, embora condicionada pelas forças sociais e econômicas, eleva-se acima da nação, a qual, pobre de recursos, não logra dominá-lo e aniquilá-lo. O ideal das classes que integram a nação é absorver o estamento burocrático, apropriando-o, nacionalizando-o, para diluí-lo na elite. Aquele é uma estratificação aristocrática, com privilégios e posição definida pelo Estado, acima da nação. […]

O estamento burocrático é árbitro da nação, das suas classes, regulando materialmente a economia, funcionando como proprietário da soberania. As demais estratificações sociais, classes ou estamentos, são por ele condicionadas, carecendo de valor simbólico próprio. Aquelas não logram organizar-se impulsionadas pela necessidade telúrica, existem como “simples imitação e prática administrativas”. Um sopro as deslocará, transformando-as em pó, sem que resistam a seu império. (Os Donos do Poder, Rio de Janeiro: Globo, 1956; pp. 261-262).

Fazer de Jair Bolsonaro réu por um crime que ele próprio combate é o sopro que visa transformá-lo em pó mas, também, aniquilar a única possibilidade política, em muitos anos, que se colocou fora do establishment e ao lado do povo – é uma luta pela manutenção da soberania no estamento burocrático, travada agora mesmo, neste instante. O povo não pode ter a soberania em suas mãos, sob pena de o estamento não sobreviver.

Acredito que o Supremo se colocou agora, como nunca antes, em posição frontal contra o povo. A população percebe com clareza a relutância e o zelo do STF por personagens como Lula e Dilma ou por Jandira Feghali, que teve sua imunidade parlamentar garantida, enquanto que, para Bolsonaro, a Corte dispensa um tratamento diferenciado, sob medida, fazendo-lhe réu por uma decisão juridicamente absurda e sem amparo na realidade fática do próprio mandato do parlamentar.

Nisto concluímos: uma vez ciente de que o recebimento da denúncia contra Jair Bolsonaro não tem motivos jurídicos, mas políticos, e de que sua transformação em réu é um movimento de preservação do estamento burocrático contra uma candidatura que se anuncia sob notas realmente populares, o povo deverá exercer o movimento adverso contra o estamento burocrático, isto é, instaurar na realidade dos fatos aquilo que o juridicismo quer negar no mundo dos papéis autuados de Brasília: que Jair Bolsonaro tem apoio popular e que o povo soberano não aceitará que o eco, ainda tímido, de sua voz seja silenciado por um lance de cimento sobre a rachadura aberta no muro do establishment.

Somente a reverberação da realidade de uma forma acachapante, inolvidável e demolidora será capaz de criar o clima que desmonte o mundo paralelo criado por este processo, que derrube o seu castelo de areia e, então, permita uma vitória também nas vias judiciais – caso contrário, sem a pressão da realidade e do povo, o processo seguirá seu curso normal rumo à aniquilação do elemento dissonante, como é o seu único objetivo.

O Deputado Jair Bolsonaro também precisa estar ciente de tudo isso, caso contrário, não responderá da maneira que a situação exige e que o povo precisa, correndo o risco de ser, como todos os outros, absorvido pelo próprio estamento burocrático no momento mesmo em que é por ele aniquilado – e, então, perderá toda a legitimidade que um dia conquistara. É uma via de mão dupla entre o povo e a persona política que o representa.

Esta não é uma luta por um nome, mas contra o estamento burocrático que se apropria do poder e não permite o seu exercício pelo povo. Na situação concreta, contudo, a pessoa tornou-se um símbolo desta luta – e todos precisamos estar bem cônscios disto, especialmente o parlamentar motivo deste texto.”

Minhas considerações

Bem sabemos que todas as pessoas têm o espírito, além da alma e corpo. E o espírito maligno influencia a pessoa que não obedece a Palavra de Deus a fazer sua vontade. E o espírito maligno é anticristo e age, aqui nos últimos dias, conforme diz a Bíblias, “contra tudo o que se chama Deus”, inclusive influenciando pessoas com autoridade, como magistrados e governantes.

A doutrina socialista é anticristã e o Jair Bolsonaro é cristão, o que nos remete a uma leitura espiritual, pois os próprios juristas não compreendem as decisões do STF discordantes em 24 horas.

E criminalizando um inocente, que defende o oposto do crime lhe foi imputado! E vindo do poder que deveria zelar pela Constituição!

O espírito anticristo fará de tudo para implantação do reinado da besta. Os pilares deste governo já estão montados no ambiente jurídico, principalmente na ONU, através dos Direitos Humanos. E foi uma representante dos tais Direitos Humanos que entrou com este pedido contra Bolsonaro, obviamente, influenciada por este espírito!

O entendimento jurídico do Direito, incluindo o STF, está sendo deturpado, haja visto a OAB, que está com miopia jurídica.

Quando Jesus Cristo foi batizado nas águas do Rio Jordão, após o jejum de quarenta dias e noites, foi tentado pelo diabo, e isto se tornou uma regra geral no Novo Testamento. Isto é, quando uma pessoa é batizada sofre tentação dias depois. E Jair Bolsonaro foi batizado nas águas há pouco tempo, o que profeticamente atrairia o espírito maligno para lhe tentar.

Mas ele é um homem chamado por Deus pra lutar contra a implantação do socialismo no Brasil, isto é, contra o espírito anticristo e o reinado da besta.

Por isto esta perseguição contra ele não é apenas porque não se corrompeu com os corruptos, mas porque é homem de Deus! Luz no meio das trevas.

Penso que os irmãos cristãos devem reagir urgentemente!

Não é somente oração e jejum, mas mobilização das igrejas cristãs junto aos deputados federais e senadores, para que o STF volte atrás na sua “insanidade jurídica”, mas para elaborar projeto de lei constitucional que limite ou divida o poder da Suprema Corte, como bem disse o texto acima.

O STF se corrompeu com o socialismo e com o espírito anticristo da ONU e não é mais confiável. Gerou uma insegurança jurídica este descalabro contra Jair Messias Bolsonaro.

Convoco os líderes cristãos para se unir em torno deste propósito, pois se o PT fez isto com Bolsonaro e Eduardo Cunha, vai fazer o restante do seu projeto proposto no seu caderno de teses (citado no post anterior)!

No caderno, o PT propõe fechar as emissoras de TV cristãs, o que configura a perseguição religiosa eminente. E com o STF contaminado com o espírito anticristo, certamente não teremos a quem recorrer!

Vigilância é o único remédio. Vamos reagir, urgentemente!

Read Full Post »

A esquerda brasileira apoia esta barbárie

CENAS FORTES! SE FOR SENSÍVEL, NÃO VEJA O VÍDEO!

Por Luiz Castro

“Até quando o mundo assistirá de forma passível o surgimento de um novo holocausto? Até quando as vozes que deveriam surdir em incondicional defesa ao direito à vida e à liberdade se calarão diante de descomunal barbárie?

Quando discursei sobre a queda da base aérea de Tabqa no norte da Síria na última semana, eu ressaltei que os mais de 260 assadistas (adeptos de Bashar al-Assad) ali capturados pelas forças do Estado Islâmico estavam com seu destino selado. Veja aqui.

Em mais um recente e aterrador vídeo divulgado pelos jihadistas, vemos estes mesmos prisioneiros sendo obrigados a marchar uma grande distância pelas areias do deserto de Raqqa, até chegarem a uma localidade remota, onde são, por fim, dispostos em fileira no chão e executados como animais em um matadouro.

Uma prática, hoje frequentemente perpetrada pelos insurgentes sunitas, como não se via desde o massacre dos judeus em campos de extermínio nazistas, o genocídio armênio, ou ainda as atrocidades de guerra japonesas durante o período Showa.

O mundo contempla passivamente a ascensão infrene de uma cultura insalubre e perniciosa. 
Uma cultura que glorifica a hecatombe e tem como fim último a imposição de sua ideologia por meio da força; 
Um brado de conversão ou morte!

Cada avanço, cada nova vitória do ISIS ou HAMAS, significa milhões de novos adeptos inteirando sua causa e redefinindo as fronteiras de seu poder. 
Enquanto nos prostramos, milhares de novos Mujahidin são forjados sob batismo de aço e fogo em campos de treinamento espalhados por todos os continentes. 
Enquanto assistimos, jovens muçulmanos de todos os lugares são diariamente submetidos à uma incisiva reforma de pensamento islâmica por parte de seus líderes e convencidos a entregarem a sua própria vida ao martírio. Um esforço glorioso, que segundo o Alcorão, será recompensado com o paraíso e todas as bênçãos reservadas aos que defendem com intrepidez e honra os “nobres” ideais do islã.

Muitos indivíduos desprovidos de conhecimento de causa e, ironicamente, sob uma alcunha libertária, parecem não compreender que o radicalismo sunita que apoia as organizações palestinas é o mesmo que insufla o levante na Síria, Iraque, Nigéria, entre outros. O objetivo destas organizações: um renascimento do Califado Islâmico! Em outras palavras, um RETROCESSO em termos político-sociais.
Em uma sociedade islâmica impera a Sharia, nome que se dá ao direito islâmico. Ao contrário de sociedades ocidentais, neste modelo inexiste uma disjunção entre a religião e o direito – todas as leis são religiosas e baseadas nas escrituras sagradas ou nas opiniões de líderes religiosos.

São estas as palavras do jornalista político Edwards Davis:

“Todos os muçulmanos religiosos acreditam que, no final, o Islã prevalecerá sobre a terra. Acreditam que a sua é a única religião verdadeira e não há qualquer espaço, em suas mentes, para interpretações. A principal diferença entre muçulmanos moderados e extremistas é que os moderados não acreditam que irão testemunhar a vitória absoluta do Islã durante o tempo de suas vidas e, assim, eles respeitam as crenças dos outros. Os extremistas acreditam que a realização da profecia do Islã e seu domínio sobre todo o mundo, como descrito no Corão, é para os nossos dias. Cada vitória do HAMAS ou do ISIS convence 20 milhões de muçulmanos moderados a se tornarem extremistas.”

E completa:

“Que ninguém se engane, o ISLÃ não luta por liberdade ou para construir uma sociedade. Os membros do Hamas, do EI (ISIS) como os demais islâmicos, lutam para um mundo onde o islã seja a religião dominante, onde as demais religiões serão subjugadas e terão que pagar tributo para viver, onde a lei da Sharia é a lei do estado, permitindo amputações, apedrejamento, enterramento de pessoas vivas e crucificações não só de criminosos de vários tipos, mas também de mulheres de quem se DESCONFIE de infidelidade, de uma moça que traiu/pode ter traído/poderia ter a intenção de trair a honra da família, de homossexuais e também de quem queira seguir outra religião ou religião nenhuma. Recentemente o parlamento do Hamas aprovou todas estas punições na Faixa de Gaza. 

Que não se deixem enganar os brasileiros: parem de culpar Israel pela situação de Gaza. Lembrem-se que no islã a liderança política é a religiosa também, não existe lei civil, existe apenas a Sharia; e que o islã é uma religião proselitista que busca ampliar seu espaço para criar o Dar al-Islam, o Mundo do Islã, através da DESTRUIÇÃO do Dar al-Harb, o Mundo da Guerra, que é o mundo onde vivem os brasileiros. Ai, então… adeus…à alegria desinibida do povo brasileiro.”

Hoje, nossos sonhos são reféns da nossa inércia.
Enquanto continuarmos delegando o nosso dever de agir ao futuro, tão breve, não restará mais um futuro pelo qual lutar.”

Eu comento

Os cristãos brasileiros estão com os olhos vendados e não estão vendo que o socialismo reciclado que o Foro de São Paulo está expandindo nas Américas do Sul e Central apoia esta barbárie terrorista! Aqui, o socialismo de mentirinha não quer que dê palmadas nos filhos mas lá fora fica do lado dos terroristas exterminadores de cristãos e dos adversários!

Aqui, o socialismo anão do PT quer calar os cristãos e lá fora apoia o Hamas terrorista contra os judeus, que estão se defendendo!

O PSB que adotou Marina Silva (juntamente com o PT de Dilma Rousseff) tem compromissos com esta barbárie e os cristãos estão apoiando este extermínio indiretamente! A coligação de Marina tem o PPS e o PPL, que fazem parte do Foro de São Paulo!   

Em nome de Jesus Cristo, que os cristãos despertem deste sono maligno e votem em partidos que não fazem parte do Foro e não são socialistas ou comunistas!

10557348_606805422771714_375955571657931889_n

Read Full Post »

Por Júlio Severo / Bob Unruh sob o título “Aviso para as igrejas: ‘Tsunami de teologia gay’ é iminente

“Evangelista processado por pregação bíblica vê cantora gospel lésbica como um prenúncio

Uma cantora gospel que vem exortando as igrejas para que mudem a doutrina sobre o comportamento homossexual desde o momento em que ela anunciou que é lésbica está na vanguarda de um tsunami de promotores da agenda gay que estão infiltrando as igrejas, afirma o advogado evangélico, evangelista e ativista Scott Lively.

 

Vicky Beeching

 

Ele explicou que, depois dos conflitos de Stonewall em 1969, os ativistas homossexuais se uniram para se oporem a qualquer instituição americana que não aceitasse e promovesse totalmente o comportamento homossexual.Lively, presidente da Abiding Truth Ministries, disse que com pessoas de dentro da igreja na ofensiva, como Vicky Beeching, uma artista de origem britânica que se tornou popular entre os evangélicos nos EUA, ele espera que “os ataques contra os cristãos nos EUA serão tão grandes como nunca vimos antes”.

A primeira vitória foi sobre a Associação Americana de Psiquiatria e, após 40 anos, todos os outros grupos tinham sido conquistados, disse ele. Os escoteiros foram os últimos a cair, há apenas um ano.

Agora, a única organização que sobrou é a igreja, disse ele.

“Todos os ativistas gays mais aguerridos e os seus enormes recursos estão todos direcionados para a igreja”, disse ele.

O problema é que os líderes cristãos não estão se preparando para uma luta como essa, disse Lively, e realmente não sabem do que o movimento é capaz.

Beeching revelou que ela é lésbica em uma entrevista na semana passada ao jornal “Independent” de Londres.

“O que Jesus ensinou foi uma mensagem radical de acolhimento, inclusão e amor. Estou certa de que Deus me ama do jeito que eu sou e sinto que isso é um grande chamado que eu tenho para comunicar aos jovens,” disse ela.

Lively, entretanto, disse que Beeching representa “a volta da maré antes de um tsunami” e um indicador de “de as coisas ainda vão piorar muito”.

Ele publicou um folheto para os pastores que explica o que a Bíblia diz sobre a homossexualidade.

“Nem uma única passagem bíblica retrata a homossexualidade de forma positiva”, diz o folheto. “Jesus, de forma inequívoca, condenou todo pecado sexual, incluindo a homossexualidade, confirmando o paradigma de ‘uma só carne’ de Gênesis”.

Ele afirma que ” uma perigosa heresia moderna chamada de ‘teologia gay’ está se infiltrando na igreja cristã em um ritmo alarmante”.

“Muitos crentes, com medo de serem chamados de ‘inimigos’ estão banalizando a ameaça, chamando a homossexualidade de ‘apenas mais um pecado’”, diz ele.

“Mas, do Gênesis ao Apocalipse, a Bíblia ensina que a homossexualidade NÃO É ‘apenas mais um pecado’. É um símbolo de rebelião extrema contra Deus e é um presságio da Sua ira”.

Na lista estão várias condenações bíblicas ao comportamento homossexual.

Ele disse que seu objetivo é colocar o folheto nas mãos de cada pastor e líder cristão dos EUA e de todo o mundo para que eles tenham uma explicação bíblica do porquê o comportamento homossexual é pecaminoso.

Lively nota que um dos fundadores da agenda gay, Herbert Marcuse, expressou o desejo de ver a “desintegração da família monogâmica e patriarcal.”

“Uma última barreira para a hegemonia cultural ‘gay’ permanece: a igreja cristã”, disse Lively.

Lively está familiarizado com os ataques contra os cristãos. Ele foi processado por ativistas em Uganda, que o acusaram sob o Alien Tort Statute (Estatuto de Lei Estrangeira) de incitar perseguição aos homossexuais.

O caso é importante porque uma decisão contra ele significaria que uma agenda internacional baseada em padrões anti-bíblicos poderia triunfar sobre a liberdade de expressão e de religião da Constituição dos Estados Unidos.

O juiz federal dos Estados Unidos, Michael Posner, deixou prosseguir o caso trazido contra Lively por um grupo africano chamado Sexual Minorities Uganda (Minorias Sexuais de Uganda) ou SMUG.

O grupo SMUG chama o discurso contra o comportamento homossexual, feito por Lively, de “crime contra a humanidade” em violação da “lei internacional”. Os autores alegam que o Alien Tort Statute (Estatuto de Lei Estrangeira) nos Estados Unidos permite-lhes fazer a acusação em um tribunal dos EUA.

Mas o advogado de Lively, Horatio Mihet do Liberty Counsel (Conselho de Liberdade), diz que a pregação de seu cliente é protegida pela Constituição.

“Acreditamos que as pretensões do SMUG estão firmemente encerradas, não só pelo direito da Primeira Emenda à liberdade de expressão, mas também pela recente decisão da Suprema Corte em Kiobel, que eliminou o Alien Tort Statute (Estatuto de Lei Estrangeira) para casos que teriam ocorrido em nações estrangeiras”, disse ele.

No entanto, Posner levou quase 80 páginas para dizer que ele achava que as alegações do SMUG eram importantes e precisavam ser julgadas.”

 

Read Full Post »

Recebi esta manhã a grata notícia de que os esforços do povo de Deus, a família cristã e tradicional está reagindo e obtendo vitória no ambiente legislativo dentro da OEA. Veja o teor da carta, intitulada originalmente: Os lobbies LGBT e abortista foram freados na OEA!‏

 

“Olá, Pr. Salomão!

Escrevo para lhe contar um pouco como foi a 44ª Assembleia Geral da OEA, que tive a oportunidade de presenciar. O texto é um pouco longo, mas vale a pena lê-lo até o final! O relato foi redigido por meu amigo Luis Losada, nosso diretor de campanhas para língua espanhola.

A Organização de Estados Americanos (OEA) vinha há seis anos aplicando a agenda gay em suas assembleias gerais. Não obstante, na 44ª Assembleia Geral realizada entre os dias 3 e 5 Junho em Assunção (Paraguai) o lobby LGBT sofreu a primeira freada.

O secretário geral da OEA, José Miguel Insulza, reconheceu que impor a agenda LGBT “só acrescenta mais atrito”. O mesmo disse em relação ao aborto. Por isso recomendou que cada país se defina conforme os seus próprios critérios a respeito desses temas mais polêmicos…

Onze países mostraram suas reservas em relação à resolução proposta por Brasil, Uruguai e Argentina. É verdade que o texto não mencionava explicitamente o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo e a adoção, mas isso estava implícito. Concretamente, pedia-se o seguinte aos governos:

“Eliminar as barreiras que os homossexuais, bissexuais e transexuais enfrentam no acesso equitativo à participação política e outros âmbitos da vida pública, assim como evitar inferências em sua vida privada”.

Muitas delegações mostraram seu temor de que se fosse aprovada a resolução impulsionada por Brasil, Argentina e Uruguai, os países que não legalizassem o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo seriam penalizados.

O representante da Guatemala esclareceu o seguinte:

O meu país declara que promove e defende os direitos humanos e, com relação às disposições desta resolução, não discrimina por qualquer razão, por motivos de raça, credo, sexo, etc. Não obstante, Guatemala considera que legalmente não reconhece o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo, e isso não constitui uma prática discriminatória.

O representante do Equador manifestou-se na mesma linha. Jamaica, por sua vez, advertiu que a proposta do lobby LGBT é “ambígua e impõe um sistema de valores sobre outro”. O Suriname também encontrou “certos problemas” no texto. São Vicente e Granadinas manifestou-se contrário ao termo “expressão de gênero”.

Até os Estados Unidos mostraram reservas! O país considera que a aprovação de resolução colocaria sob suspeita o sistema universal de Direitos Humanos. Além disso, assinalou suas reticências com relação à estratégia da OEA de tratar de impor a agenda LGBT aos Estados membros.

“Este país tem se oposto constantemente à negociação de novos instrumentos legalmente vinculantes. Reiteramos a nossa preocupação há muito tempo com esse exercício dentro da OEA e as convenções resultantes”.

Estes foram os países que mostraram as suas reservas: Paraguai, Equador, Guatemala, Honduras, São Vicente e Granadinas, Belize, Guiana, Trinidad e Tobago, Suriname e Barbados. Só Brasil, Uruguai e Argentina asseguraram que ratificarão o texto na convenção.

Trata-se de um verdadeiro revés para os lobbies LGBT e abortista, que há seis anos vinha impondo sua agenda na OEA. Nunca uma resposta tão clara e numerosa havia sido dada.

CitizenGO colaborou com essa vitória por meio de uma campanha que contou com mais de 46.000 assinaturas dos países de língua espanhola, gerando mais de um milhão e meio de comunicações enviadas aos embaixadores.  A mudança também foi possível graças a organizações pan-americanas como Human Life International, Observatório Interamericano de Biopolítica Alliance Defending Freedom, Population Research Institute, Observatório Católico, Alianza Latino-americana de Família, Generaciójn Pro-vida e tantas outras, como o World Congress of Families, que se mobilizaram em defesa do matrimônio, da vida e da família.

Veja aqui um registro da entrega das assinaturas ao Chanceler do Paraguai:

 

Imagem

 

 

Mas sem dúvida alguma, tudo isso não teria sido possível sem a participação ativa do Paraguai. Os movimentos pró-vida e pró-família desse país foram os grandes motores dessa mobilização, que levou também mais de 20.000 pessoas às ruas em plenas segunda e terça-feira! A Igreja Católica e os evangélicos também mobilizaram os seus membros para defenderem a vida e a família. O Parlamento e o Senado mostraram claramente seu rechaço à resolução brasileira.

O fato de o país anfitrião da Assembleia Geral ter sido contra a agenda abortista e LGBT foi fundamental para que, pela primeira vez, os lobbies LGBT e abortista fossem freados e impedidos de impor seus privilégios e seu modelo de sociedade. Obrigado Paraguai!


Logo mais escreverei para falar sobre algumas das nossas petições mais recentes.

Obrigado por seu apoio e sua atenção, Pr. Salomão.

Um forte abraço.

Guilherme Ferreira e toda a equipe de CitizenGO.”


 

Meus comentários

 

Eu acredito que os cristãos precisam e deve se levantar ainda mais contra o espírito do anticristo com sua agenda gay e com aborto, além de outras ferramentas para destruir a família tradicional e a heteronormatividade, como eles apregoam.

Ora, o cristianismo ocidental da forma que se propôs é um mecanismo fértil para o socialismo que viu na América Latina ambiente propício para fecundar e crescer sem nenhuma resistência!

Este cristianismo de quintal, que se caracteriza em cada igreja olhar para o seu próprio umbigo e abandonar o contexto todo onde está inserida é vergonhoso e expôs sua inutilidade!

Desta forma, este cristianismo de quintal deu a Satanás um poderio que ele não encontrou em outros continentes que defendem suas religiões e suas culturas, como os japoneses e os árabes, por exemplo, além de outros.

Precisamos ir mais adiante! Vamos defender com unhas e dentes o futuro dos nossos filhos ou este rincão onde moramos! A nossa cultura cristã e de família deve ser preservada com todo o nosso esforço!

Agradeço ao Guilherme Ferreira e toda a equipe de CitizenGO que tem apoiado esta causa nobre da família cristã e do nascimento sem interrupção do aborto. Que Deus continue ajudando a cada um de nós!

Amém.


 

CitizenGO é uma plataforma de participação cidadã que trabalha para defender a vida, a família e as liberdades fundamentais em todo o mundo. Para saber mais sobre CitizenGO, clique aqui,ou siga-nos via Facebook ouTwitter.

 

Read Full Post »

Outra derrota para gay ‘casamento’ na Irlanda do Norte

“POR COLIN KERR

Mon 05 de maio de 2014 15:31 EST

Belfast, Irlanda do Norte, 05 de maio de 2014 (LifeSiteNews.com)

A medida para introduzir “casamento de pessoas do mesmo sexo” na Irlanda do Norte, mais uma vez não foi aprovada, tornando-se a única jurisdição na Grã-Bretanha a ter resistido à tendência de redefinir a instituição do casamento.

É a terceira vez nos últimos 18 meses, que a Assembleia da Irlanda do Norte rejeitou legislação “casamento” do mesmo sexo. O projeto de lei foi introduzido na última Assembleia da Irlanda do Norte em abril passado, quando perdeu por um voto 53-42. Seis meses antes, em outubro de 2012, ela perdeu 50-42.

Assembléia da Irlanda do Norte

Imagem

O partido Sinn Féin apresentou a moção que foi apoiado pelo Partido Social Democrata e Partido Trabalhista (SDLP). Os Unionistas do Ulster e unionistas democratas se opuseram. Sinn Fein detém atualmente 29 dos 108 assentos da Assembleia, enquanto os unionistas democratas detêm 38.

Os partidos unionistas foram ajudados tanto pela Igreja Anglicana da Irlanda e Igreja Católica, que fez declarações a favor da manutenção do casamento como ele é.

O segundo movimento também havia sido introduzido por Sinn Féin e, da mesma forma, foi derrotado por unionistas democratas. Os partidos menores SDLP, Aliança e verde tinham apoiado os movimentos Sinn Féin.

O movimento de outubro de 2012 foi introduzida pelo Partido Verde de extrema-esquerda e foi apoiado pelo Sinn Féin.

Neste caso de voto da semana passada, uma vez que o Partido Democrático Unionista introduziu uma “petição de preocupação”, que obrigou o movimento a alcançar o apoio de todos os partidos a pelo menos “50 por cento mais um” voto de maioria simples, não teria conseguido.

Um aspecto novo de regras legislativas da Irlanda do Norte inclui um procedimento onde um grupo de 30 membros da Assembleia pode “apresentar um pedido ao Presidente para um voto particular a ser tomada numa base cross-comunidade.” As comunidades significam aqui sindicalistas e nacionalistas separatistas (irlandês).

Devido a esse detalhe processual, é muito improvável que a lei vai mudar sobre o assunto antes da próxima eleição prevista para 2016, uma vez que o único partido na Assembleia da Irlanda do Norte, com mais de 30 membros é firmemente contra mudar a lei do casamento.

No entanto, uma grande quantidade de pressão é exercida sobre o pequeno país tanto internacionalmente como no Reino Unido.

Dos quatro países do Reino Unido, é a única que não reconheceu, ou não está no processo de reconhecimento, o “casamento” homossexual.

A Anistia Internacional tomou um forte interesse no assunto e acredita que é apenas uma questão de tempo até que a lei seja alterada por uma imposição dos tribunais.”

Read Full Post »

Há alguns dias eu queria transcrever este texto do LifeSiteNews.com acerca do esforço imenso que esta mulher, Julia Gasper, está fazendo na Europa contra a agenda homossexual e pedófila e em favor da família tradicional. Somente hoje pude. Então, veja abaixo parte da luta incansável desta pessoa que precisa do nosso apoio incondicional!

“Homossexuais vastamente super-representados no Parlamento, distorcendo a democracia: o candidato Inglês MEP

POR HILARY WHITE

LONDRES, 5 de maio de 2014 ( LifeSiteNews.com )

Um estranho político britânico tem indignado os ativistas homossexuais e seus simpatizantes na mídia e o Parlamento dizendo que há muitas MPs homossexuais em comparação com o número de homossexuais na população em geral, e que seu hábito de “insider” patrocínio é prejudicial ao processo democrático e incentiva a corrupção.

“Há muito muitos homossexuais no Parlamento. Até mesmo o presidente da Câmara dos Comuns, Nigel Evans, candidato democrata Inglês MEP, está sob investigação por assediar sexualmente outros homens”, Julia Gasper escreveu em 7 de abril, e continua:

“Eles são apenas 1,5 por cento da população, uma proporção que justifica cerca de 10 deputados em totais, ainda parece haver centenas deles, todos em posições importantes e dando favores um ao outro”.

Imagem

Julia Gasper

“Isso é uma violação da democracia”, escreveu ela.

Hoje, Gasper postou um aviso para o blog dela, dizendo: “Por favor, mantenha as mensagens abusivas, linguagem chula, e ameaças de morte que vêm dentro. Elas estão todos sendo colocados em um arquivo de evidências sobre o perfil psicológico das pessoas LGBT.”

“Nenhum dos comentadores que histericamente se juntaram na imprensa sobre mim conseguiram encontrar um erro em qualquer coisa que eu tenha escrito. Será que a verdade os ofende?”, perguntou ela.

O ex-candidato UKIP para o parlamento do Reino Unido e Freguesia, Conselheiro em Oxford, é agora um membro do Partido Democrata Inglês e um candidato ao Parlamento da UE para o Sudeste da Inglaterra. Ela irritou o “establishment político”, descrevendo os ativistas homossexuais que forçaram o ex-CEO da Mozilla, Brendan Eich, para fora de seu trabalho por ter uma vez doado US $ 1.000 a uma campanha que defende o casamento tradicional na Califórnia como “homofascists”.

Em seu blog em 9 de abril , Gasper acusou a “máfia gay” de tomar “um prazer vingativo em bullying e abusando pessoas” que se opõem a seus objetivos políticos.

Ela apontou o incidente Brendan Eich como um caso em questão, dizendo que ele foi forçado a sair de seu trabalho, em violação do seu “direito fundamental ao trabalho, independentemente de suas crenças.” Ela explode um “novo macarthismo”, como disse que é “uma ameaça aos direitos humanos fundamentais!”

 

Eich, ela disse, “tem o direito de participar na vida cívica do seu país, e um direito democrático de fiscalizar, apoiar ou rejeitar quaisquer mudanças na lei, como são exigidas por qualquer grupo.”

Em um post no blog, Gasper condena os “fracos liberais dithering” (ou tementes) da elite política e religiosa em todo o mundo para favorecer o movimento homossexual. Estes incluem o presidente dos EUA, Barack Obama, disse que cedeu à pressão do movimento em Hollywood para mudar sua posição sobre “casamento gay”. Ela acusa a União Europeia em massa de gastos “milhões de libras todos os anos na promoção da barmy (ou imbecil), agenda LGBT doente ,. “e” a ONU, que agora suborna nações independentes a apresentar demandas LGBT em vez dos Direitos Humanos a que foram criados para defender ”

Julia Gasper visa a mídia britânica, incluindo a BBC, o The Guardian , The Huffington Post e o Daily Mail para promover a agenda LGBT “acriticamente”, bem como os três principais partidos políticos, do Trabalho, os conservadores e os liberais democratas, e “organismos profissionais que cederam às ameaças e birras de extremistas LGBT.”

Ela acusa Justin Wellby, o arcebispo anglicano de Canterbury, bem como outros bispos da Igreja da Inglaterra, que, segundo ela, está permitindo que a “máfia gay” os manipulem. Papa Francisco, ela acusa de “comprometer o pontificado com declarações públicas para apaziguar o contingente homo-fascista”.

Gasper também foi franca em uma variedade de temas liberais, incluindo explodir a Anistia Internacional, que ela acusa de deixar cair o seu mandato original para se opor a opressão política e seguir em frente a apoiar as “causas mais na moda da época permissiva”, incluindo o aborto. Ela chamou o mais recente documento da Anistia sobre direitos humanos, que apela para a prostituição legalizada, de uma “mixórdia horrível de esquerdo-eufemismo e deformidade ética.”

No ano passado, Gasper foi expulsa do UKIP, depois que ela escreveu em um fórum de membros do partido: “Quanto aos vínculos entre homossexualidade e pedofilia, há tantas evidências que até mesmo um livro inteiro dificilmente poderia fazer justiça ao assunto”.

O incidente foi relatado pelo Sunday Mirror e mais tarde confirmado por um porta-voz do UKIP que disse: “Dra. Gasper ficou cabisbaixa para evitar fazer a si mesma ou há festa? Danos”.

Líder UKIP Nigel Farrage, que recentemente reverteu a oposição de seu partido para o “casamento gay” disse ao Sunday Mirror que a “guerra inaceitável” de Gasper contra agenda LGBT não era bem-vinda em seu partido.

Steve Tios, porta-voz e companheiro candidato com os democratas ingleses saiu em defesa de Gasper, dizendo que é “muito tradicional” a visão cristã dela sobre a homossexualidade. “Na verdade, a maioria das religiões têm uma visão semelhante como faz Julia”, acrescentou.

Tios, disse à BBC que a sua posição não é “oficialmente” a visão dos democratas ingleses, “mas, obviamente, não nos permitem a liberdade de expressão dentro do nosso partido, e nós não somos um partido politicamente correto.” Ele comparou a sua posição com a do UKIP, dizendo que “o partido libertário permite a liberdade de expressão”, desde que seja a liberdade de expressão de Nigel Farrage.

“Nós temos uma composição diversificada,” disse Steve Tios, em que os candidatos são obrigados apenas agir “amplamente de acordo com o manifesto.” Ele disse que a posição de Julia Gasper sobre o número de homossexuais no parlamento é “factualmente corretas em termos de proporção” em comparação com a população em geral.”

Fonte http://www.lifesitenews.com/news/homosexuals-vastly-overrepresented-in-parliament-distorting-democracy-engli

Imagem

Comento

Assim como esta mulher, a Sharon Slater
Presidente da Family Watch International (www.familywatchinternational.org) precisa de seu apoio! Manifeste a favor da organização contra o aborto e o gayzismo implantantado pela Agenda LGBT no mundo, através da ONU e de Barack Obama, EUA, você que é cristão!

Ora, é procedente a incógnita que Julia Gasper suspeita sobre a quantitade de leis LGBTs em proporção ao número de homossexuais na Inglaterra, e serve para o Brasil esta estatística também! Ela disse que o gayzismo tem pessoas influentes em diversos cargos de influência e eles são unidos e se ajudam mutuamente!

Façamos uma reflexão, meus irmãos cristãos queridos:

Nós não somos muito unidos e somos maioria, por isto estamos perdendo esta guerra para uma minoria barulhenta e influente, que está organizada, fazendo e aprovando leis contra os nossos princípios tradicionais de moral e família!

Certamente, estes mesmos gayzista estão impedindo que Jair Bolsonaro apareça nas pesquisas de intenção de votos ou que fosse indicado pelo PP, por exemplo, porque ele é moralista e defende a família tradicional cristã! Ora, estão infiltrados em órgão influentes do governo e na política, mesmo entre os Partidos ditos conservadores e liberais! Portanto, não duvido que a agenda LGBT da ONU e dos EUA estejam impedindo nos bastidores a candidatura de Jair Bolsonaro!

Você viu que a mesma luta na Europa é a que estamos enfrentando aqui! Julia Gasper denunciou que os Direitos Humanos na ONU se tornaram uma agenda em favor do homossexualismo, não dos direitos básicos do ser humano como um todo! É a Sodoma e Gomorra colocada em prática!

E lá uma mulher está fazendo o que muitos homens deveriam fazer, assim como aqui, muitos Pastores de denominações gigantes ou líderes cristãos deveriam estar encabeçando movimentos pró-família!

E não estão!

Ora, nós somos amioria e podemos parar o país sem violência e sem vandalismo, como fizemos anoi passado. Se algum arruaceiro tentar entrar, chamamos a Polícia Militar para nos assegurar a liberdade de expressão e de opinião!

Os políticos devem trabalhar para fazer leis que nós queremos, não a que eles querem! São pagos por nossos impostos, que não são poucos, não! Portanto, devemos retomar os nossos valores de família e moral que sempre nortearam esta nação!

Vamos nos unir mais e banir o comunismo de Dilma Ropusseff, do PT e de sua base aliada fora do país!

Read Full Post »

Neste vídeo chamado “BARACK OBAMA ‘O ANTICRISTO’ – A SÍRIA CRISTÃ SERÁ EXTERMINADA POR ELE. PRIMEIRA PARTE”, vemos claramente o que já está acontecendo no ambiente espiritual e a maioria dos cristãos não se deu conta ainda!

Sim, eu disse, a maioria dos cristãos não sabe o que já está acontecendo no ambiente espiritual no final dos dias!

A igreja está morta espiritualmente, como as dez virgens!

Barack Obama é tratado como Deus, Senhor e Salvador por muitos americanos, que fazem oração a ele, inclusive desde criança! Este vídeo é estarrecedor! Um alerta vermelho aos que dormem e estão brincando de cristãos!

Algumas coisas eu gostaria de comentar, apenas superficialmente, para não me alongar.

Um negro candidato concorrente à Casa Branca fala coisas terríveis de Obama. Ora, todos sabem que dificilmente um negro falará mal de outro negro, numa sociedade que era racista há alguns anos. Ele o incentivaria e o defenderia. Mas este diz coisas que nos despertam a atenção sobre a real nacionalidade de Obama, e sua descendência ou seu projeto de poder!

Outra coisa deste vídeo é que o motorista dele passou pelo detector de mentiras e Obama teve que retirar o processo que movia, porque ele estava falando a verdade, quando acusou o Presidente dos EUA de homossexualismo, entre outras coisas!

Ora, Barack Obama se intitula de 1º Presidente gay dos USA, inclusive oprimindo os países africanos e os ameaçando de embargos econômicos, caso não aprove leis de casamento homossexual, juntamente com a ONU. E já dissemos aqui , neste importante artigo, que a ONU é gayzista e que Obama apoiou retirar o casamento gay da área da Saúde para os Direitos Humanos, abafando o programa de combate à Aids.

E forçando os países a aprovar a criminalização de quem é contra, os chamando homofóbicos, principalmente os cristãos.

Já disse aqui também que isto é o espírito do anticristo que mostra uma outra visão à humanidade, como a antiga serpente fez a Eva. Você viu no final do vídeo que o povo clama para mais quatro anos quando um homem o chama de anticristo. As pessoas já estão com este espírito.

O espírito entra com a cultura em filmes, novelas, desenhos animados e, principalmente na escola, onde ele atua com seriedade. A mesma coisa faz o PT aqui no Brasil, aliás, que tem o mesmo espírito do anticristo.

Escrevi também outro texto que citava a marca da besta como sendo o casamento gay. E na parte da conclusão aqui ficou claro que a igreja que aceita a inversão de valores sexuais, espiritualmente já tem a marca da besta. O homossexualismo espiritual dentro da igreja é pior que o físico, pois oculta demônios que apenas aquele que está efetivamente olhando para Deus e para o arrebatamento pode ver. Este tal é o clamor da meia-noite.

Os cristãos que querem glória do homem e cargos, posições, etc. colocarão sem dúvidas a marca da besta em sua mão, que provavelmente é esta aliança homossexual com o espírito do anticristo. Esta aliança gay pode ser espiritual, colocada na mão, como símbolo de casamento com o espírito do anticristo, e acontece quando um homem se torna mulher e uma mulher se torna homem, espiritual ou fisicamente.

O espírito de inversão de valores é o anticristo, pois ele inverte o que foi falado por Deus. Ele muda a Palavra de Deus, como fez com Eva desde o início, por isto Obama disse que os EUA não eram mais cristãos! É uma Nova Era. Efetivamente, entramos já no período crítico pré-tribulacionista!

Em outro post, colocarei a afronta que Israel fez a Deus permitindo que houvesse uma Marcha Gay em seu território. Houve uma profanação do espírito do anticristo no território que Deus deu aos judeus desde 1948.

Voltaremos a falar sobre estes assuntos. No momento, apenas reaja ao apelos do espírito do anticristo. Se quiserem que você, minha irmã, seja missionária, bispa, pastora, etc, corre, porque é a serpente querendo que você apregoe a palavra distorcida para Adão, o homem. Você se tornará espiritualmente um homem e estará fazendo aliança espiritual homossexual com o espírito de Jezabel, o pior que existe, disse Jesus, em Apocalipse 2:24. Jesus disse que quem se prostituiu com este demônio conheceu as profundezas de Satanás!

E eu sou bem cético neste caso. Eu acredito que não tem volta quem se envolveu com este demônio, pois o Senhor disse: “E dei-lhe tempo para que se arrependesse, mas ela não se arrependeu!” (verso 21)

E você, homem de Deus, quando vir alguma mulher pregando, corre dela! Eu faço isto, pois é demônio e eu não vou me prostituir espiritualmente com Jezabel! Quando um homem ouve a mulher pregando a ele, torna-se mulher e vira homossexual espiritualmente, fazendo aliança espiritual com o espírito do anticristo.

Deus disse a Adão que, porque ele deu ouvidos à voz de sua mulher e desobedeceu a Sua Palavra, que foi dada ao homem, a terra seria amaldiçoada (Gênesis 3:17)! Homem é quem recebeu a responsabilidade de pregar – “as Palavras que te ordenei”, disse Deus!

A igreja que tem ministérios de mulher trouxe para o santuário o espírito de Jezabel, e fez aliança espiritual com o espírito do anticristo. É o feminismo do anticristo dentro da igreja. É o esquerdismo maldito dizendo que são direitos iguais, que é machismo apenas o cabeça pregar, etc. Todas estas doutrinas são “a profundeza de Satanás”, que era apenas uma serpente no jardim, mas agora é um dragão vermelho no Apocalipse 12:9.

O diabo cresceu na maldade e evoluiu, porque disse Jesus que iria se multiplicar a iniquidade e o amor iria se esfriar. O amor ao Senhor; o amor ao esposo que se esfriou, pasmem!, na hora do casamento, adormeceram todas. Ninguém dorme no altar do seu próprio casamento. É a falta de amor caracterizada. Deixaram a obediência de lado e preferiram a voz do engano da serpente.

071019

Estou mostrando superficialmente o cenário espiritual para que entendam, ou não, a gravidade do momento e possam se levantar do sono da morte espiritual que acometeu as 10 virgens, em plena volta do esposo!

E se aprontem para se encontrar com o Senhor. Se arrependam e encham suas lâmpadas de azeite do Espírito Santo, que é a vida, pois quem não O tem está morto.

Não votem no PT e em partidos de esquerda ou da base aliada do governo! Não se contaminem com o espírito do anticristo! Cristão não vota no PT e em seus aliados!

Deus os abençoe.

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: